Conheça a história da garrafa térmica: De útil à desejada.

A garrafa térmica possui uma tecnologia bem simples, inventada por James Dewar, um químico e físico inglês que queria conservar soluções em laboratório. A invenção consiste, até hoje, em isolar uma substância por meio de um vaso de vidro de paredes duplas com um espaço no meio, fechado a vácuo. As paredes recebem um revestimento metálico, formando superfícies espelhadas.

Isso aconteceu por volta de 1890 e pouco tempo depois, em 1903, Reinhold Burger, um alemão fabricante de vidros patenteou a garrafa térmica para uso doméstico.

Ela passou a ser comercializada entre nobres e burgueses e começou a aparecer nos mais diversos ambientes a partir da sua conveniência.

Caças, viagens, passeios de automóvel e de balão, neste período, contavam com a presença de uma garrafa térmica. E assim começa a jornada da garrafa térmica para ir além de sua funcionalidade e conquistar significado e valor agregado pela sua aparência.

A princípio, enquanto esteve acessível apenas para este perfil, o objeto começa a representar status, conforto e privilégio.

Depois de popularizada, ela passa a ser comercializada em escala industrial e, com o passar do tempo, adquire variações, modelos e cores para comunicar a conveniência de sempre para todas classes.

Hoje, uma garrafa térmica é percebida como um objeto de decoração. Não apenas porque pode ser inserido em projetos decorativos harmonizando com os mais diversos ambientes, mas também por contar com criatividade e beleza na fase do design de produto.

Materiais, cores, formatos e ergonomia são elementos que, conforme são propostos ao consumidor, oferecem alternativas para simbolizar status, aconchego, aventura, família, entre outros atributos que vão além da conservação térmica.

Deixe um comentário